Carta ao papai - o coariense Izaque Lima



As lembranças ainda me parecem vivas dos momentos que estive ao seu lado, aqui em plano terrestre. Das primeiras de infância, as voltas de moto até o aeroporto de Coari, que  terminavam com um lanche gostoso. Na adolescência, os passeios de lancha para as comunidades do interior que me deixaram boas lições de simplicidade e amor ao próximo. Os trabalhos que executamos juntos na loja de bicicletas e a minha primeira bicicleta, que ganhei de uma surpresa sua durante um almoço, no dia do meu aniversário de 14 anos. 

Lembro que nesta mesma época, em uma viagem à Manaus de barco o senhor me salvou de ir para o fundo do rio, quando tomando banho aos fundos do recreio, deixei o balde cair n'água e fiquei segurando a corda pendurada nele e estava sendo arrastada. O  senhor correu e soltou a corda da minha mão. Vi seu desespero  naquela hora, para me salvar e salvou. 


Aos 18 anos já mocinha morando com o senhor, tomei de conta da sorveteria da Toya, que levava o apelido carinhoso no qual me chamava "Laninha". Aos 20 recebi a única serenata da minha vida, quando o senhor quebrou tabus e reuniu todos os meus amigos, até os que não gostava. Faltando 1h para o dia 12 de setembro, colocou eles na sua Kombi e saiu em carreata surpresa, até onde eu estava, para cantar os meus parabéns de uma forma divertida e diferente com um sanfoneiro na caravana. Nunca vou esquecer daquele dia. Foi o melhor aniversário da minha vida. 

Meu pai não era perfeito, aliás qual pai é? Tinha suas imensas qualidades e também seus defeitos. Tinha seus acertos de pai e também teve seus erros, mas era um cara sonhador e ser humano genial. 



E hoje, um ano e quatro meses da sua partida precoce aos 59 anos, quero repetir o meu pedido de agradecimento por tudo que o senhor foi na minha vida, na vida das pessoas e por todas as lições positivas que me deixou e que hoje como "pãe" eu realizo aos meus filhos. Quero também te pedir perdão pelos meus erros como filha e dizer que aprendi muito com eles, afinal eu e você somos totalmente imperfeitos.   

E por fim quero enfatizar meu pai que te amo pra todo sempre e espero que o senhor esteja em bom lugar e seja este anjo com sorriso carismático, que adorava contar histórias de interior, com um humor caboclinho que só você tinha, com sua luz própria na vida das pessoas e que eu tento ser você todos os dias.  Descansa em paz, meu pai e feliz dia dos pais pra sempre.

Beijem, abracem, ajudem, ame muito os pais de vocês enquanto existe vida. Feliz dia dos pais a todos vocês!



Islânia Lima - É jornalista profissional, editora chefe do portal Repórter Cabocla, assessora de imprensa, pós graduada em Comunicação Empresarial e Marketing Digital e repórter de vocês. 

Postar um comentário

0 Comentários