ARTIGO: Lições de Duda Reis, a ex do Nego do Borel - Islânia Lima


Não é de hoje que a violência doméstica impera nos lares do mundo todo. Mulheres que se tornam submissas a homens em suas mais diversas formas, seja financeiramente ou sentimentalmente. Esta semana o caso de Duda Reis, uma menina rica, digital influencer, que vivia um relacionamento com o cantor Nego do Borel, que mais parecia um conto de fadas, veio à tona, quando ela denunciou o agressor em suas redes sociais.

 O tema traz uma longa reflexão sobre tudo o que ocorre no mundo atual e como é difícil ser mulher nos dias atuais. Além dos nossos já problemas de natureza humana, como a TPM, por exemplo, a mulher sofre tantos abusos ao longo da vida, que daria para escrever livros.

Entre eles, podemos destacar o assédio moral, sexual e também tudo o que ela sofre dentro do próprio lar. Graças a tecnologia, nos dias atuais o assunto tornou-se mais transparente. Não que antigamente não existisse abuso, ao contrário, sabe aqueles casamentos de 20, 30, 40 anos? Sim, eles eram possíveis em muitos casos porque a mulher se submetia a tantos desaforos e era incapaz de denunciar o agressor, para não passar vergonha diante a sociedade, família e afins. Algo que já está virando passado. 

Outro fator relevante é a questão financeira, muitos cônjuges sequer deixam a mulher trabalhar, estudar ou ter contatos com pessoas de fora. Falo isso com propriedade por certa vez ter presenciado uma cena em família. Um homem casado com uma prima disse para mim que não queria ver a mulher colocando uma “venda” em casa, para que homens de fora não ficassem a cortejando na janela. Burrice e machismo juntos, caso de cadeia. Graças a Deus, a prima se livrou. 

Nunca se precisou tanto que o disque denúncia contra mulher 181 ou o site da Delegacia Interativa - Polícia Civil Amazonas, fosse utilizado, para dar chave de cadeia a tantos abusadores, feminicidas, que sem qualquer tipo de humanidade, acham que mulher é objeto de posse, e, por este motivo, fazem a famosa lavagem cerebral nelas e as deixam totalmente fragilizadas.

Duda nos trouxe grandes lições, apesar da imensa exposição, ela escolheu dizer “Não” ao grande abusador, e, acima de tudo, decidiu abraçar a causa, mesmo que isso lhe custasse julgamentos preconceituosos na internet. Gratidão. Peça apoio da família e denuncie abusadores! 

É preciso ter força para dizer “Não” ao abusador. É preciso entender tudo que inclui abuso. Ele não te bate, mas não deixa você ver seus amigos e familiares. Ele não te base,mas controla teu celular. Ele não te bate, mas faz você se sentir culpada por algo que não seja errado. Ele não te bate, mas não te deixa estudar, trabalhar. Ele não te bate, mas não deixa você usar as roupas que quer, cortar ou mudar a cor do cabelo. Violência não se trata apenas de agressões físicas, mas sim psicológicas, que se não cuidadas, podem levar a mulher a uma profunda depressão e até a morte. Fique atento a isso e denuncie!


Islânia Lima é Jornalista, editora chefe do portal Repórter Cabocla, formanda em Marketing Digital e Comunicação Empresarial. 

Postar um comentário

0 Comentários